terça-feira, 27 de julho de 2010

Subcristianismo, a Religião do Diabo

“Pr Kiko, temos que respeitar a (tal) igreja, ela não serviria para mim, mas ela tem servido para muitas pessoas. Muitas dessas que nunca entrariam na Batista Boas Novas, nem numa Assembleia de Deus, e muito menos numa Luterana. Igrejas devem existir para suprir as necessidades das pessoas, e cada pessoa tem uma necessidade diferente, por isso de tantas igrejas e tantas confusões”.

Ouvi recentemente de um querido irmão em Cristo.
É bem verdade que muitas das maiores igrejas do mundo migraram da Europa e América do Norte para o hemisfério sul;
Também é verdade que muitas novas igrejas estão falando de Jesus para um monte de gente que nunca ouviu falar de Jesus;
E ainda é mais verdade que, a Europa, após viver o sincretismo que vivemos hoje, adormece espiritualmente, tanto que o fim do século XX foi marcado pelo crescimento do Ateísmo de forma desenfreada.

Assim, caro leitor, na verdade, na verdade, o que temos visto são pessoas correndo atrás de um movimento; de uma igreja que lhes “sirva” (o que será que significa isso?); de um lugar onde possa extrapolar suas emoções contidas pela falta de liberdade cristã.
Na verdade, na verdade, o que temos visto hoje é um subscristianismo , ou seja, muita gente foi evangelizada e discipulada superficialmente, e por consequência não reproduzem a essência do Evangelho... mas, suas igrejas estão cheias e elas estão “ouvindo” falar de Jesus!

Meu desafio – mais uma vez:
- Não se acomode aos padrões deste mundo; não se deixe levar pelos números; chore, clame, grite por socorro.. mas, esteja atento aos que lhe pedirem ajuda... (pois tem muita gente gritando por Deus por aí!).
- Não pense que você é um evangelista porque leva pessoas à Igreja aos Domingos. Ledo engano. Seja um evangelista porque leva Jesus às pessoas.
- Não se orgulhe de seus discipulados enlatados, sem vidas e cheios de teologias decoradas.Ande compartilhando sua vida; mostrando como se comportar num estádio de futebol; como tratar os filhos e o cônjuge; ou ainda, ensinando como um adorador adora quando não está na Igreja.

E antes de terminar: estamos à beira de um grande abismo, e em pouco tempo estaremos lá embaixo felizes porque fizemos uma marcha profética contra o homossexualismo... porque nossa célula é a maior da igreja... e porque a “vaca já foi pro brejo” há muito tempo e nem nos damos conta!

Em Cristo.
Kiko Machado.