sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Modelo a toda Terra

“Mostremos valor constância
Nesta ímpia e injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra
De modelo a toda Terra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra”

Creio que esse poderia ser um hino cantado em nossas igrejas. Na verdade, gostaria que nossa igreja pudesse cantar esse hino sem medo de acusações. Assim como o Rio Grande do Sul tem buscado ser um modelo para toda terra, também gostaria que nossas famílias cristãs, nossos amigos e nossos projetos futuros pudessem servir de modelo a toda Terra.

Outro dia, alguém me perguntou como vai criar seu filho nessa corja (corja=igreja), nestes bastidores sujos, com essas pessoas sem alma... eu a interrompi, e lhe disse: "Ensine o caminho que eles devem andar". Então, aquela entristecida mãe me disse que levava seus filhos em todos os cultos, em todas as EBD, em todas as programações... novamente a interrompi, e lhe disse: "Ensine o caminho que eles devem andar". "Você é quem vai dar a direção para eles, você é quem deve ensiná-los caráter, cordialidade, bondade, misericórdia, generosidade, compaixão...".

Assim, e somente assim, poderemos fazer do hino gaúcho um hino de nossas vidas.

Em Cristo,
Kiko

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Auto Biografia em Cinco Breves Capítulos

Capítulo 1
Caminho pela rua. Há um grande buraco na calçada. Caio nele. Estou perdido - estou desamparado. Não é culpa minha. Leva uma eternidade para encontrar uma saída.

Capítulo 2
Caminho pela mesma rua. Há um grande buraco na calçada. Finjo que não o vejo. Caio nele mais uma vez. Não consigo acreditar que estou no mesmo lugar, mas não é culpa minha. Ainda leva muito tempo para sair.

Capítulo 3
Caminha mais uma vez pela mesma rua. Há um grande buraco na calçada. Vejo que está ali. Continuo caindo nele... virou hábito. Meus olhos estão abertos. Sei onde estou. A culpa é minha. Saio na mesma hora.

Capítulo 4
Caminho pela mesma rua. Há um grande buraco na calçada. Dou a volta.

Capítulo 5
Caminho por outro rua.

Este é um texto de Portia Nelson, o qual encontrei num livro de J. Maxwell em que este fala sobre o poder de nossas escolhas, pois não vamos ter tudo que queremos, mas teremos tudo que escolhermos.

Portanto, cuidado com seus buracos!

Em Cristo,
Kiko

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

NO LIMITE DA VINGANÇA

Todos sabem do Reality Show do momento, No Limite. Ontem eu assisti. E, se você acha que vou falar mal como os hipócritas que condenam, mas não perdem um, podem deixar de ler aqui neste ponto final. Quero falar de algo que não só vi, como senti o gosto. Foi nesta última quinta-feira (03 de Setembro).

Há uma participante chamada Sandi, como todos os demais, ela está jogando para conquistar R$500mil. E a estratégia dela é ressaltar os defeitos dos outros... para os outros, ou seja, fofoqueira. (A estratégia dela é muito parecida com a prática das igrejas evangélicas atuais – para nossa triste vergonha). Outras duas concorrentes não gostaram e partiram para a briga, e o jogo virou contra a caluniadora. O famoso tiro saiu pela culatra. Era certo que ela teria mais uns momentos de vida no programa. Era só o tempo de uma votação eliminatória e adeus traíra.
Porém, havia uma esperança, o colar da imunização, e ela encontrou! Tudo bem até aí, o melhor ficou para o momento de votação. As duas meninas haviam preparado tudo para tirá-la do jogo, mas segundos antes de iniciar a votação foi o momento em que a Sandi apresentou seu colar salvador. Foi demais! Os olhares, os pensamentos aparecendo em rede nacional: “O que fazer agora?”.
Enquanto a Sandi desfrutava do doce sabor da vingança. Seus lábios transbordavam de alegria, e seus olhos brilhavam de satisfação. E temos que confessar: a vingança é muito boa!

Então, pus-me a pensar. (Claro que pensei em meus inimigos, os que me querem longe, os que fazem complôs infantis contra mim. Mas, isso é outra história).
E, depois de pensar, escrevi o que senti e quero levar, o caro leitor, a um pouco do que é o gosto da vingança. Acompanhem comigo:

Vamos até o grande dia do Senhor. Naquele onde todos estarão grandes e pequenos, pretos e brancos... enfim. Naquele dia que dinheiro não esconderá ninguém. Religião alguma terá valor. Naquele dia em que todos os joelhos se dobrarão e a uma só língua confessarão que Jesus Cristo é o Senhor.
- O Diabo e seus demônios estarão lá, aflitos, manhosos e horrorizados. Vai começar! Eles serão os infernizados e não mais nós, os filhos do Eterno. Eles não mais bramarão como um leão buscando a quem possa tragar. Eles não mais roubarão, matarão e destruirão. Eles não mais colocarão fim em sonhos, casamentos e amizades. Vai começar o fim!
- Naquele momento, eles serão esmagados pelos santos pés do Messias; serão consumidos com um sopro Divino e agonizarão eternamente no lago de fogo e enxofre.

Delícia a vingança, não?!

Em Cristo,
Kiko Machado.