segunda-feira, 31 de agosto de 2009

ESCOLHAS

Alguém já disse que somos o fruto das nossas escolhas; assim como John Maxwell escreveu que somos hoje o que lemos há 5 anos; e como não citar o Livro dos livros quando sentencia: “as más companhias corrompem os bons costumes” (I Co 15.33). No entanto, tudo teoria! “Conversa para boi dormir”! Nada válido no campo das realizações, apenas no plano das idéias. Ou seja, são frase bem escritas e ótimas para serem citadas em palestras motivacionais, sermões bíblicos e formaturas. Pois é bem verdade que jogamos nossas escolhas no ventilador do destino e depois dizemos: “Que seja o que Deus quiser”.

Escrevo isso porque sei o que acontece no coração quando estamos diante de escolhas importantes. Rapidamente e inconscientemente pensamos qual será a melhor para nós, o que não significa que será a melhor de fato.

Conheci hoje a história de uma mulher guerreira, uma negra chamada Lena Baker do estado de Geórgia, EUA. Ela foi condenada a cadeira elétrica e morta em Abril de 1945. E, observei que para morrer eletrocutado não é necessário muitas escolhas erradas, e sim um ou duas. Uma ou duas “fechadas” de ouvido ao conselho dos sábios, dos pais, da Bíblia. Um ou dois.
Essa pobre mulher, dona de uma voz etérea, influenciada pela amiga escolheu deixar o coro de sua igreja para cantar para “mais gente”. Depois, escolheu lugares onde não só sua voz era percebida, mas também seu corpo moreno. E, para realizar seus sonhos mais rápidos ainda, escolheu a vida oferecida nos prostíbulos da época, ficando assim conhecida em toda a cidade.
Duas escolhas idiotas que a fizeram escrava sexual de um corrupto autoritário da cidade, e no dia em que tentou se libertar, teve que lutar para continuar viva e matar seu opressor.
Lena Baker se tornou a primeira e única mulher a ser executada na cadeira elétrica no estado da Geórgia, e sua execução durou 6 minutos e muitos choques. Um ou duas escolhas erradas!

O que me incomoda é que tantos anos depois ainda morremos inocentemente pelas nossas escolhas erradas. Estamos em uma sociedade descomprometida e desinteressada com o que estão plantando, sem ao menos pensar o que vão colher.
- Programas de televisão se expõem numa luta patética para mostrar quem é mais pornográfico;
- Criancinhas continuam dançando seminuas por este mundo a fora;
- As músicas pobres e tendenciosas multiplicam-se como capins;
- A política não oferece um salvador;
- O ensino se deteriora e deteriora seus mestres...

Caro leitor, a sua vida é repleta de escolhas, geralmente difíceis e em momentos difíceis. Escolha o que Jesus escolheria!
Escolha o amor, a compaixão, a bondade, a misericórdia, o perdão... até pode ser conversa fora de moda, mas é esta conversa que livra os seres humanos da morte, não das mortes de cadeiras elétricas, mas da pior: a de morrer e continuar vivo.

Em Cristo,
Kiko

Nenhum comentário: