segunda-feira, 31 de agosto de 2009

ESCOLHAS

Alguém já disse que somos o fruto das nossas escolhas; assim como John Maxwell escreveu que somos hoje o que lemos há 5 anos; e como não citar o Livro dos livros quando sentencia: “as más companhias corrompem os bons costumes” (I Co 15.33). No entanto, tudo teoria! “Conversa para boi dormir”! Nada válido no campo das realizações, apenas no plano das idéias. Ou seja, são frase bem escritas e ótimas para serem citadas em palestras motivacionais, sermões bíblicos e formaturas. Pois é bem verdade que jogamos nossas escolhas no ventilador do destino e depois dizemos: “Que seja o que Deus quiser”.

Escrevo isso porque sei o que acontece no coração quando estamos diante de escolhas importantes. Rapidamente e inconscientemente pensamos qual será a melhor para nós, o que não significa que será a melhor de fato.

Conheci hoje a história de uma mulher guerreira, uma negra chamada Lena Baker do estado de Geórgia, EUA. Ela foi condenada a cadeira elétrica e morta em Abril de 1945. E, observei que para morrer eletrocutado não é necessário muitas escolhas erradas, e sim um ou duas. Uma ou duas “fechadas” de ouvido ao conselho dos sábios, dos pais, da Bíblia. Um ou dois.
Essa pobre mulher, dona de uma voz etérea, influenciada pela amiga escolheu deixar o coro de sua igreja para cantar para “mais gente”. Depois, escolheu lugares onde não só sua voz era percebida, mas também seu corpo moreno. E, para realizar seus sonhos mais rápidos ainda, escolheu a vida oferecida nos prostíbulos da época, ficando assim conhecida em toda a cidade.
Duas escolhas idiotas que a fizeram escrava sexual de um corrupto autoritário da cidade, e no dia em que tentou se libertar, teve que lutar para continuar viva e matar seu opressor.
Lena Baker se tornou a primeira e única mulher a ser executada na cadeira elétrica no estado da Geórgia, e sua execução durou 6 minutos e muitos choques. Um ou duas escolhas erradas!

O que me incomoda é que tantos anos depois ainda morremos inocentemente pelas nossas escolhas erradas. Estamos em uma sociedade descomprometida e desinteressada com o que estão plantando, sem ao menos pensar o que vão colher.
- Programas de televisão se expõem numa luta patética para mostrar quem é mais pornográfico;
- Criancinhas continuam dançando seminuas por este mundo a fora;
- As músicas pobres e tendenciosas multiplicam-se como capins;
- A política não oferece um salvador;
- O ensino se deteriora e deteriora seus mestres...

Caro leitor, a sua vida é repleta de escolhas, geralmente difíceis e em momentos difíceis. Escolha o que Jesus escolheria!
Escolha o amor, a compaixão, a bondade, a misericórdia, o perdão... até pode ser conversa fora de moda, mas é esta conversa que livra os seres humanos da morte, não das mortes de cadeiras elétricas, mas da pior: a de morrer e continuar vivo.

Em Cristo,
Kiko

sábado, 29 de agosto de 2009

O Encantador de Corações

Nada mais avassalador do que problemas fora do nosso controle!
Perdemos o sonho, a fome e o sossego. Um comercial de margarina é o bastante para desabar cachoeiras de lágrimas; uma música antiga nos leva ao poço da melancolia; e a voz de um certo alguém nos tenta ao ‘partir’.
Como é triste estar triste, e pior ainda é ser triste.
Mas, algo ainda pode ser pior: A tristeza sem causa; a completa ausência de respostas para um semblante que pergunta... pergunta o que? Não sei.

Então, corramos para o Dr Hollywood e todos os nossos problemas serão resolvidos. Vamos ‘acertar’ esses defeitos de fábrica como este nariz torto, essa papada que não tinha e esse olhar cansado... isso tudo um após o outro, pois quando começamos a ‘consertar’ nossos defeitos, outros tantos aparecem. E, assim, erroneamente, seguimos o caminho contrário, porque queremos alegrar o coração, aformoseando o rosto, quando Deus disse que é ao contrário! (Pv 15.13).

Desta forma, e somente desta, é que podemos suportar o ‘como’ da existência humana. Só assim, quando nos vimos sem saída, a tristeza já se apoderou de nós, notamos que todas as saídas estão fechadas... então, olhamos para cima, e ali está o Encantador de Corações, esperando:
- ...que entendamos que devemos procurá-Lo, porque ainda O podemos achar;
- ...que nossos problemas podem deixar de ser nossos, e serem trocados por um fardo leve;
- ...que somos uma categoria acima dos vencedores, os Mais que vencedores.

Deus, o encantador do meu coração.
Encante-se!

Em Cristo,
Kiko

terça-feira, 18 de agosto de 2009

O Mais de Deus.

Momentos antes de entrar no palco e expor meus argumentos bíblicos de que Deus mudara de endereço e a sua nova morada é o coração humano; estava orando e clamando a Deus por mais. Não queria mais uma palestra, eu queria mais. Não queria mais algumas músicas, eu queria mais. Não queria algumas orações, eu queria mais.
Entre clamores e algumas lágrimas, o Altíssimo me perguntou:
- “O que você gostaria que acontecesse no seu ‘mais’?”.

Silenciei minhas palavras, assim como as músicas da igreja – afinal de contas, não ouço Deus tão claramente todos os dias. Em meu barulhento silêncio, inicialmente me assustei, e depois pensei. É como se Deus importasse com o meu mais, e por conseqüência, Ele poderia dar o Seu mais. Então, mergulhei-me! Avancei nos labirintos mais escondidos da minha alma para saber o que eu estava pedindo de fato.

Eu queria que a presença de Deus fosse o mais real possível, para que todos que estivessem naquele lugar experimentassem o que cantam há tantos anos. Queria poder ‘sentir’ mais Deus; queria algo mais que vãs repetições de textos; queria que as palavras fossem flechas penetradoras de corações, e assim, esses corações fossem derramados diante do grande Eu Sou.
Queria que as lágrimas não fossem contidas por medo de serem confundidas com as de outras igrejas (estou cansado dessa idiotice!). Desejaria muitos que as músicas fossem louvores, orações enviadas diretamente à caixa de correspondência de Deus; e não somente – e simplesmente – músicas cantadas para a projeção do Data Show.
Queria muito que o termos possessivo “meu” pudesse ser substituído por “dele”. E, assim, não barrarmos sonhos de crescimento no fator finanças.
Também gostaria que houvesse mudanças, transformações, metamorfoses como esposo, esposa, funcionário, patrão, filhos...

Eu respondi tudo isso!
E o mais de Deus veio... e o culto foi tremendo!

Em Cristo,
Kiko

O Deus Diminuído

Não são poucas as vezes que buscamos limitar o ilimitado. Pois, diminuindo o Imensurável poderemos nos enganar ainda mais. E, neste frenesi pelo auto engano conjunto a fome de auto endeusamento, encontramo-nos pobres, cegos e nus.
Neste texto quero relatar o quanto os mínimos seres humanos tem diminuído o máximo Deus das alturas.

É bem verdade que muitos Salmos, como o 91, não são mais realidade para uma multidão, ele mais serve de amuleto do que verdade aplicativa à vida. Até porque muitos crentes já morreram com as pestes que voam a noite, não somos imunes nem mesmo a gripe A.
Não conseguimos saber onde é – ou está – o esconderijo do Altíssimo, muitos menos como descansar à Sua sombra.
O que seria fazer (na prática)do Altíssimo o nosso abrigo e refúgio, para que assim nenhum mal nos atingisse?! (vrs. 9 e 10).
“Essa é uma interpretação errada e pobre!” – Dirão os teólogos sabichões, e de antemão já respondo:
“Mas, é isto que o povo crê, e é isto que vocês pregam quando não estão enfeitando suas aulas com palavras rebuscadas!”.

E, no meio de ignorantes leitores misturados a sábios teólogos (de Araque), o Deus ilimitado está cada vez mais limitado. Deus está cada vez mais preso em nossos achismos. Se Ele age fora de nossas esferas de explicações dizemos que isso não pode, que se trata de invencionismo de alguma igreja. E, Deus fica diminuído.

Penso em libertar o Grandioso Eu Sou?
Em absoluto, apenas desejo que todos voltem a ver e crer em um Deus Ilimitado. E assim, compreendendo que ele ainda é Onipotente; desejo que entendamos que o ilimitado somos nós! E, compreendendo que o ilimitado somos nós poderemos – então – voltar a descansar no Ilimitado, ou seja, à sombra do Altíssimo.

Em Cristo,
Kiko

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Michael Junior

Michael Jackson não morreu!
Pelo menos esse é um dos mistérios que ronda a morte do astro. Assim como a possibilidade de ele já ter morrido há muito tempo e só ter vindo à tona agora. Outro mistério é o seu caixão fechado, ninguém viu o defunto. E mais, porque seus grande – e poucos – amigos não estiveram no funeral show?! Porém, a mais bombástica das notícias sensasionalistas é esta: Ele voltará em Novembro! Ou seja, tudo isso não passou do maior golpe de marketing da história.

Especulações e esquisitices à parte, a verdade é que o Michael Jackson mexeu com o mundo... não, melhor, ele fez um terremoto no mundo! E o pior, é que o cara (morto ou vivo, não sei mais) continua vendendo disco a doidado! O rei do pop honrou o ditado e não perdeu a majestade... mesmo morto.

Em contrapartida a todo esse sucesso e cachoeira de especulações, deste lado dos meros mortais, está o meu irmãozinho, o Junior. Não está quebrando recordes de vendas ou marcando shows bilionário, é que meu irmão odiava o Michael Jackson. Sim, não precisa ler de novo, o caçula dos meus irmãos tinha uma espécie de Jacksonfobia. Era o ex-negro branquear na telinha para o meu irmão correr ou esboçar um choro.
Certa vez, eu pedi para que ele trocasse os canais para mim, e de repente, enquanto fazia o seu ofício e contava seus casos futibolísticos... o som (triller)... a imagem... o mostro. Meu pequeno irmão paralisou por alguns segundos, como o rei do pop, branqueou, e com os olhos esbugalhados me perguntou: “O que eu faço agora?”
Graças a Deus, era só um comercial da MTV, pois quase que nós morremos – Ele de susto, e eu de tanto rir!

Então, se tudo isso for de fato uma campanha publicitária, o ex-líder dos Jackson Five voltaria com força total e com novos fãs, ou pelo menos com mais um: O Junior. Sim, ele também virou fã do astro black or white. Agora, quer ouvir suas músicas, imitar seus passos e ver seus clipes. (E, confesse que você também gostaria de vê-lo voltar dos mortos para fazer o Moonwalker!).

Com tudo isso podemos concluir que Michael soube encantar o mundo deste lado durante 50 anos, no entanto, existe um mundo do lado de lá para eternidade. Como ele estaria se saindo lá???

Em Cristo,
Kiko Machado