segunda-feira, 27 de julho de 2009

Um Dia Depois de Amanhã.

Pensei que ia morrer!
Calafrios, tosse seca, uma terrível dor de cabeça e as constantes informações sobre a nova gripe, fizeram-me pensar que não haveria um dia depois de amanhã.
Não sei se você já passou perto das portas da morte (tomara que passe), mas quando passar – mesmo que de longe – saiba que ela é estranha, tenebrosa e reflexiva... Reflexiva?
Sim. Quando estamos com a impossibilidade de não mais viver um dia depois de amanhã, um filme, cujo ator principal somos nós, passa em nossa mente. E algumas dessas imagens relato aqui.

1. Meu inimigos falariam tão bem de mim que eu tentaria levantar do caixão. Sei que me exaltariam e diriam que nossos problemas eram de ordem profissional.

2. Meu amigos sofreriam a perca de um grande amigo, pois todos meus amigos são grandes.

3. Eu lamentaria muito não ter passeado pelo Louvre, não ter dirigido – e comprado – uma Ferrari e por não ter surtado mais (deixei ‘passar’ muita coisa por querer “a paz com todos”).

4. Sofreria por não ter amado e cuidado mais do maior e melhor presente que Deus me deu: Rose Flores.

5. Choraria muito por 31 anos de vida e tão poucas contribuições para a humanidade. Nunca plantei uma árvore, não fiz um filho e – o pior de todos – não escrevi o meu tão sonhado livro.

6. Não me tornaria o tão desejado líder, escritor e pregador que sempre sonhei em minha existência. Morreria no esquecimento; pessoas ririam no meu velório, e a vontade de ir embora logo seria bem maior do que a vontade de dar o último adeus.

7. Clamaria todas as misericórdias possíveis, cada gota dO sangue santo, pois no leito de quase morte eu me vi um grande pecador (e dos bem grande mesmo).

Um dia depois de amanhã é hoje (Domingo) e estou mais vivo do que nunca. Cruzei perto da tal porta, mas não entrei. Ainda estou aqui. E se estou aqui tudo – ainda – é possível.

Você está vivo? Então, ainda é possível! Faça uma lista ousada, criativa e sonhadora, ainda há tempo!

Em Cristo,
Kiko.

Nenhum comentário: