terça-feira, 9 de junho de 2009

EMO

Dia cinza...
Pessoas entocadas...
Carros molhados...
Olhares neutros...
Renguear de cusco...
Janelas fechadas...
Braços cruzados...
Frio!
Que dia frio, cinza e molhado.
Para piorar, ainda estou entrando de férias. (Não, não sou louco por trabalho, o problema é que estou de mudança de casa, dependo de assinaturas de homens mega ocupados), também estou com problemas de liderança, perguntas sem respostas, saudade dos amigos, falta de amigos, excesso de problemas, borracharias (furou de novo!)... Dia cinza, frio e molhado.
Dá uma vontade de colocar para rodar “Quebre as correntes” ou “Velha história” e chorar, chorar e chorar!

A Rose diz que: “De médico, teólogo e louco, todo mundo tem um pouco!”, hoje quero aumentar o "Emo". Todos nós temos um Eminho guardado dentro de nós! Todos nós escondemos nossas lágrimas diante dos infortúnios da vida, e com os legais também. Todos temos um Emocore no roupeiro, e ele bate forte às portas quando nos encontramos sem saída, tristes e desesperançados.

Eu queria ser emo. (Claro, não queria pintar os olhos, os lábios e nem deixar meu cabelo com visual de “opa, levei um choque, e depois uma vaca me lambeu!”).
Hoje, por exemplo, estou tão emo que estou escrevendo este texto emo. Texto sem cor, sem vida, sem rima, sem cadência....
Puxa, acho melhor parar com isso, pode ser comprometedor. Posso ser uma espécie em extinção, ou seja, um emo assumido, e todo emo que é emo não pode dizer que é emo!

Mas... Esqueça tudo isso, companheiro!
Nós, adultos, nos especializamos em esconder sentimentos, até mesmo nossos sorrisos em abundância são perigosos – já dizia Adolf Hitler. Continuemos carrancudos, enfadonhos e chatos, pois nosso tempo de expressar corações já se foi...
(Porém, No entanto...) Todavia, se você não importa com rótulos, aqui vai algumas dicas Emos:
- Chore um pouquinho de vez em quando...
- Lamente em outro...
- Abrace um amigo...
- Escute uma música de paixão...
- Fique um pouco mais na cama... durma mais cedo... chore no fim do filme...
- Sorria em gargalhadas... tire uma onda... faça beicinho...
(Mas, nunca – nunca mesmo – pinte os olhos e os lábios!).

Em Cristo,
Kiko

2 comentários:

Aline da Costa disse...

Vou escutar música sertaneja depois de ler este texto.
hehehehe
Fora a brincadeira, infelizmente depois de crescer esquecemos que chorar faz parte da natureza humana.

Manuela Malachias disse...

kkkkkk
ai, ai...
É, emo com um senso de humor tão afiado é bem raro também...