segunda-feira, 11 de maio de 2009

Sem Comentários

Inicio essas palavras depois de muito pensar e desejar intensamente algo que fosse alado. Gostaria muito de escrever, mas nada me é presenteado pela tal inspiração.
Então, resolvi escrever sem ela mesmo!
Resolvi escrever versos soltos e descompassados;
Palavras amontoadas;
Poemas sem rimas;
Mensagem sem tema.
Decidi inovar nos contos e levar a lugar nenhum (assim como muitos que lemos, e franzimos a testa para mostrarmos que somos intelectualizados por estar “entendendo” algo que ninguém entendeu!).
Optei por juntar caracteres que não servem para nada, pois faltam-me os mesmo para dizer o tudo que gostaria!

Tentei falar do tempo, mas só via nuvens escuras sobre mim...
Pensei em criminalidade, mas não tive tanta coragem assim, porque seria muito tentador falar em morte...
Possibilitei comentar futebol, mas nada mais tem para se falar do campeão de tudo...
Então, com cenho fechado e lábios mordidos, comecei escrever sobre hipocrisia, fome, desigualdade social, desemprego... logo deixei de lado, pois esses assuntos não são relevantes fora de época de eleição...

“Não me resta mais nada!!!” – Bradei aos quatro ventos por estar tão oco de sentimentos. E foi então que me veio a saída, a luz no fim do túnel. O assunto pelo qual respiro: Igreja!.... Mas, eu teria que falar de pessoas endiabradas que ocupam cargos de importância em igrejas importantes, e sabendo que me chamariam para um canto para me disciplinar e enfiar seus dedos sujos de enxofre em minha cara, resolvi me calar. (Prefiro passar alguns dias pensando que eles não existem). Enfim, a luz no fim do túnel era um trem desgovernado!

Então, para terminar este amontoado de suspiros palavriais, resta-me apenas e tão somente uma aplicação para o texto:
- Quando não tiver o que escrever, escreva sobre tudo que gostaria de falar!

Em Cristo,
Kiko Machado.

Nenhum comentário: