quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Se um dia você morrer…

O dito popular afirma que ninguém morre na véspera, e eu concordo... em partes! Pois, quando irônica e idiotamente sacrificamos a nossa vida apenas por ela não ser como queríamos e a jogamos na lata do lixo da existência humana, creio – que antes de fazer isso – deve-se ler este texto: Se um dia você morrer...
- ...no meio dos gritos e prantos de saudade, eu lembrarei do teu sorriso de paz, mas com ausência de sonhos;
-... no meio dos olhares compassivos de pais, irmãos e amigos, lembrarei do quando você brincou de viver, e do quanto parecia viver tão bem. E me perguntarei com voz inaudível: “então, pq?!”;
-... no meio do cheiro das flores com elogios e dedicatórias, lembrarei do seu cheiro que invadia lugares e anunciava que um anjo ali chegava;
-... no meio da sala, diante do seu corpo estático e gélido, talvez consiga dizer tudo o que sempre desejei: Como você marcou minha vida... Como me faz falta o som de seu sorriso serrado entre os dentes... como viverei sem seu abraço sincero e amigo?!... Como pude dedicar tanto tempo a falsos amigos, quando você estava tão perto?!... Porque não me deixar banhar mais por suas lágrimas, talvez... Porque não lhe dei mais presentes?! Mais beijos, mais abraços, mais carinho, mais reconhecimentos, mais ousadia?!... Porque lhe pedi tantas promessas?!

E agora, que sei que está vivo e com lágrimas nos olhos, com vontade de sorrir e viver, eu me dou um conselho:
“Carpe Diem: Colha a vida como se fosse um fruto maduro que amanhã estará podre. A vida não pode ser economizada para amanhã, acontece sempre no presente”. Rubem Alves.

Assim, pegue o telefone, o carro, o msn, faça um sinal de fumaça... mas, não deixe para o velório as palavras que podem ser ditas hoje, no dia em que estamos vivos.

Kiko

Um comentário:

HockembaK disse...

Parabéns !
Refleti muito, obrigado pela ajuda mesmo sem você saber que estava ajudando !