quarta-feira, 30 de julho de 2008

A PARÁBOLA DOS TALENTOSOS

Lc 19.11-22

- “Não vejo a hora de me aposentar e assim ter mais tempo para Deus!”;
- “Eu queria poder servir mais na igreja!”;
- “Meus filhos não querem vir aos cultos, só se interessam por ações sociais!”;
- “Eu ainda vou trazer a minha mulher à igreja, para podermos servir juntos ao Senhor!”.

São frases bem intencionadas (às vezes!), mas, aos olhos eterno do Eterno, não querem dizer muita coisa. A nós impressiona bastante. Chamamos de desviados todos aqueles que não vêm a igreja regularmente, ou então aquele que está fumando ou bebendo. Firme, para nós, são aqueles que estão dominicalmente marcando presença, ofertando, saudando as pessoas, fazendo graça... mas, não temos a mínima idéia de como ele é no trabalho, como é subordinado, chefe, sacerdote do lar, amigo, pagador de contas. Isto, que de fato é importante, não muito nos interessa, mas voltemos as frases bem intencionadas e o texto em questão.

Jesus está contando uma história para que o povo entendesse que o seu Reino não seria estabelecido de imediato, ou seja, que ainda muitas coisas aconteceriam debaixo dos céus. Por isso, deixa explícito que sempre é tempo; tempo de chorar e rir, cair e levantar, perder e ganhar! Sempre é tempo! Sempre é tempo de usar aquilo que Deus colocou em suas mãos para usar. Trabalhar os dons e talentos naturais da sua vida.
Esses homens da história de Deus fizeram uso diferente do que receberam dEle. E o que recebeu menos foi o que menos produziu. E eis aqui uma grande verdade em nossos dias!
Acreditamos que somente especiais são aqueles que estão trabalhando na igreja, e portanto, pensam as pessoas: “devo me esforçar para ser um pastor; um missionário; ou um músico; ou um porteiro; um líder de qualquer-coisa... porque esses têm entrada direta nos céus”. Ledo engano!
Deus nos capacitou com pelo menos um dom. Um dom especial para ministrarmos a outros, e por estes outros sermos ministrados por Deus!

Assim, cancelemos em nós esses sonhos de ser super crentes somente quando estivermos trabalhando na igreja, pois o que faremos lá? (Por mais importante que seja trabalhar na igreja!). Mas, vamos fazer o que lá na igreja?! Sermões?! Compor músicas?! Limpar cadeiras?! (Lembrando: Isso é muito importante, mas não é tudo!). E fica aqui a pergunta:
- Quem vai evangelizar o seu patrão?
- Quem vai ser uma referência para seus subordinados?
- Quem vai fazer um tratamento dentário e receber um suporte para alma cansada de viver?!
- Quem vai levar Jesus aos atletas?! Às Olimpíadas?!
- Quem vai entrar na casa da madame depressiva?!
- Quem vai entrar nas salas de aula e no mundo dos mestres do ensino?!

Temos, como corpo de Cristo, muitas coisas para fazer... muitas! Não enterre seus talentos, desejando os talentos dos outros. Pegue seus dons e vá viver! Desenterre suas preciosidades e vá a luta! Se seu chamado é para o Pastorado, aleluia! Vá estudar e se preparar. Porém, se não for, não fique querendo ser um a força, vá ser um bom dentista, um bom poeta, um bom advogado, um bom mecânico, uma boa administradora do lar, uma boa mãe, um bom pai, um bom filho, um bom aluno.... enfim.... vá fazer lucrar os seus dons e talentos.

Quem tem ouvidos para ouvir ouça:
“Precisa-se de gente talentosa!”.
Oh, é com você! Termine este texto e vá viver os sonhos de Deus para você!

Em Cristo,
Kiko Machado.

Um comentário:

Aline da Costa disse...

Gostei muito deste texto. acho que 99,9% de nós crentes jáe steve em alguma fase da sua vida em uma situação em que lametou não ter um cargo ou posição dentro da igreja ao invés de fazer diferença no seu dia a dia.
Que Deus abençõe a sua vida pastor e que nos ajude a fazer a diferença entre os não crentes e não nos preocupar tanto em ser uma figura destaque na igreja.