quinta-feira, 25 de outubro de 2007

JACK O' LANTERN

Espero que você não tenha na entrada da sua casa uma abóbora oca, com uma careta desenhada nela e uma vela dentro!
- Se você não tem, este texto é para você!
- Se você tem, este texto é ainda mais para você!
Permitam-me apresentar o Jack O’ Lantern, a abóbora com uma vela dentro. Trata-se de uma lenda irlandesa a cerca de um homem que morreu e não foi aceito no céu, e rejeitado do inferno. Condenado a vagar na escuridão, pediu a Satanás que acendesse brasas para iluminar seu caminho, e recebeu um pedaço de carvão. Para proteger a luz, Jack o pôs dentro de um nabo. Ao chegar aos EUA, os irlandeses encontraram poucos nabos, mas muitas abóboras, daí a troca.
- E daí?!
- O problema é que este é um dos principais adereços ao Dia das Bruxas!
- E daí?!
- O problema é que o dia das Bruxas é dia 31 de Outubro!
- E daí?!
- No dia 31 de Outubro de 1517, o mundo conhecia as 95 teses do monge alemão Martinho Lutero, cravadas no castelo de Wittenberg, determinado a provocar um debate público sobre a situação hipócrita em que se encontrava a religião na Idade Média.
- E daí?!
- Daí, caríssimo leitor, que devemos estar atentos para que datas realmente importantes para o cristianismo não estejam sendo abafadas pelas datas do Diabo;
- Daí, que não adianta estarmos no rol de membros de uma igreja e no rol de membros do Inferno;
- Daí, que precisamos de uma nova reforma, uma reforma de Humildade, Súplica e Rendição;
- Daí, que os convoco a Jejum e Oração nesta Quarta-feira, dia 31 de Outubro, para que juntos clamemos por uma reforma espiritual em nossas vidas.
E assim, e somente assim, vençamos os “E, daís?!” do inferno!

E, finalmente, Feliz Dia da Reforma Protestante!

Pr Kiko Machado

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Farisaísmo em três lições

Este texto é para você que sempre sonhou em ser um fariseu ou um mestre da lei.
Quero lhe ensinar a como ser um deles, pois tenho visto tantos por aí, que ficou fácil imitá-los.

Mt 23.1-7:
1 Então, Jesus disse à multidão e aos seus discípulos:
2 "Os mestres da lei e os fariseus se assentam na cadeira de Moisés. 3 Obedeçam-lhes e façam tudo o que eles lhes dizem. Mas não façam o que eles fazem, pois não praticam o que pregam. 4 Eles atam fardos pesados e os colocam sobre os ombros dos homens, mas eles mesmos não estão dispostos a levantar um só dedo para movê-los.
5 "Tudo o que fazem é para serem vistos pelos homens. Eles fazem seus filactérios bem largos e as franjas de suas vestes bem longas; 6 gostam do lugar de honra nos banquetes e dos assentos mais importantes nas sinagogas, 7 de serem saudados nas praças e de serem chamados 'rabis'.

1º. Não faça o que falo e faça o que eu faço! (vr. 3)
Para ser um bom fariseu você deve falar muito e praticar muito pouco. Esta regra é muito importante.
Os fariseus estão sempre prontos para falarem o que devemos fazer e como fazer, mas suas vidas são um amontoado de nadas. Portanto, para ingressa nos corredores do farisaísmo tome bastante cuidado de fazer o que se tem para fazer e de falar o que deve ser feito.

2º. Não se mova! (vr. 4b)
Pare com essa bondade absurda, um bom fariseu permanece na posição de inerte o máximo de tempo que conseguir. Esse coração de bondade, mansidão e solidariedade é coisa do passado, não funciona em nossas empresas... ou você quer perder o emprego dos sonhos para ser um bom funcionário para o chefe corrupto?! Seus colegas estarão de olho! Lembre-se que Deus não vai por comida na sua mesa, nem gasolina em seu carro!
Um bom fariseu participa... visualmente.
Um bom fariseu participa... com mãos limpas.
Um bom fariseu participa... de corpo presente, mente ausente.

3º. Luz, Câmera, Ação! (vr. 5)
Falamos por enquanto em “não fazer” e “não se mover”, mas a terceira lição é muito importante, é como uma grande exceção: Não esqueça os holofotes! Não esqueça as câmeras! Não esqueça do auto-marketing, ele é valioso em nossos dias.
Chame a atenção!
“Quem não é visto não é lembrado!”
Lembre-se que ternos e sapatos fazem uma grande diferença onde você sentará!
Não esqueça também dos tapinhas nas costas das grandes autoridades!
E, por favor, não esqueça daqueles elogios às pessoas detestáveis, ninguém é um bom fariseu sendo sincero e confrontando pessoas.

Aí, estão três lições rápidas, fáceis e muito vistas em nossos dias para ser um bom fariseu. Espero que faça bom uso!

Um pequeno detalhe é que esse “tal” Jesus, o que se diz Messias, vai lhe dirigir a você assim:
“Ai de vocês, mestres da lei e fariseus hipócritas!” (Oito vezes no capítulo 23).

Mas também, a esta altura do campeonato quem está preocupado com o que um morador de Nazaré, filho de um carpinteiro, diz ou deixa de dizer, não é?!

terça-feira, 9 de outubro de 2007

O Poder dos Incrédulos

Mt 13.53-58
53 Tendo terminado de contar essas parábolas, Jesus saiu dali. 54 Chegando à sua cidade, começou a ensinar o povo na sinagoga. Todos ficaram admirados e perguntavam: "De onde lhe vêm esta sabedoria e estes poderes miraculosos? 55 Não é este o filho do carpinteiro? O nome de sua mãe não é Maria, e não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? 56 Não estão conosco todas as suas irmãs? De onde, pois, ele obteve todas essas coisas?" 57 E ficavam escandalizados por causa dele. Mas Jesus lhes disse: "Só em sua própria terra e em sua própria casa é que um profeta não tem honra". 58 E não realizou muitos milagres ali, por causa da incredulidade deles.

Sou do tempo de acreditar em maravilhas dos céus!
Sou velho!
Sou um velho jovem com esperança de ver o invisível!

Ultimamente, tenho me deparado com o questionamento sobre o que está além do natural, sobre aquilo que não podemos ver, sobre aquilo que tem se visto nos lugares onde Cristo é profundamente amado.
Conversando com meu pastor mentor outro dia, ele dizia que os milagres estão acontecendo, paralíticos têm andado, cegos visto e surdos ouvido... até mesmo os que já partiram tem sentido novamente o fôlego em seus pulmões. E então, minha pergunta angustiada e desejosa por resposta foi...:
- “Onde?! Quando?! Como?!”.
E a resposta não era a que esperava:
- “Nos lugares aonde as câmeras, fotógrafos e telejornais não chegam”...
- “Os milagres têm acontecido lá no interior da África, nas igrejas subterrâneas, nos lugares secretos”.
A pergunta óbvia era – e foi:
- “Por quê? Qual a diferença?”.
- “Porque o amor é sobrenatural!”.

Amor!
Acredito que incredulidade é contrário ao amor e amigo do orgulho.
Creio que amor é a fonte do poder.
E também creio que pouco amor, muita incredulidade é igual ausência do sobrenatural de Deus.

Assim, enquanto ficarmos admitindo pessoas que falam amar a Deus, mas fazem coisas contrárias a sua voz, também continuaremos admitindo – sem falar – que não queremos de fato, os milagres de Jesus!
Enquanto, aceitarmos que não podemos “fazer” as pessoas adorarem, continuaremos dizendo – sem palavras – que somos incrédulos, e no meio da incredulidade Deus não age.
Creio que Deus procura adoradores e não expectadores!
Creio que Deus procura sinceros e não observadores!
Creio que Deus procura lugares para agir sobrenaturalmente e não lugares de shows humanos.

Creio no poder de Deus e no poder dos incrédulos.
O poder de não deixar acontecer!

Pr Kiko Machado.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

O Milagre da Humildade

- “Quantos aqui estão com um caroço?”
- “Sinto pessoas neste local com uma forte dor de cabeça, quem é?”
- “Quantos estão com uma dor no dedo, levante a mão?”

Os milagres de Jesus descritos pelo apóstolo Mateus nos capítulos 8 e 9 são um pouco (para não dizer muito) diferente do que vimos em nossos dias. E, em especial para mim, são tão interessantes e desejados que sempre me chamam a atenção quando passo por eles. Mas, hoje, resolvi registrar alguns pensamentos e dúvidas, na súplica de que eu ainda possa ver milagres divinos, milagres de verdade, milagres humildes.

Foram 11 milagres que segundo meus cálculos teológicos aconteceram em dois dias!
Milagres, milagres mesmo!
Vamos a eles:
1. (8.1): Um Leproso;
2. (8.5): Um Paralítico;
3. (8.14): Uma Febre;
4. (8.16): Exorcismo e Curas;
5. (8.27): Natureza;
6. (8.28): Dois endomoniados gadarenos;
7. (9.2): Um paralítico;
8. (9.18): Uma ressurreição;
9. (9.20): Um fluxo de sangue;
10. (9.27): Dois cegos;
11. ( 9.32): Um mudo.

Cansei de explicações tradicionais!
Cansei dos mesmos que nunca viram um milagre de verdade, dizer que isso foi contextual e que não pode acontecer mais!
Cansei também de caroços inexistentes desaparecerem; e dores de cabeça saírem, assim como dores no dedo.
Eu quero ver milagres mesmo!

Eu quero ver o poder do Espírito Santo acontecer de forma que os paralíticos carreguem suas cadeiras enquanto tentam fechar suas bocas de felicidade;
Eu quero ver o cego ver;
Eu quero falar com o surdo;
Eu quero escutar o mudo.

Quem não quer?... Ou existe alguém ainda com esperança de ver e experimentar alguma coisa?! Será que não vivemos uma geração descrente no poder sobrenatural de Deus?! Será?!
Será que não estamos tão cheios de nós mesmo que não conseguiríamos ver milagres físicos?! Ou pelo menos pensar que eles podem acontecer?! Será?!
Pois, não conseguimos ver os milagres das conversões! Se tão poucos tem visto estes milagres como os maiores que podem existir! Como poderão querer ver os outros?!

Mas, eu quero! E acredito que tantos outros querem!
E porque quero?

Pelo que pode acontecer...:
- 8.9: “Vendo isso, a multidão ficou cheia de temor e glorificou a Deus, que dera tal autoridade aos homens”.
- 8.26: “A notícia deste acontecimento espalhou-se por toda aquela região”.
- 8.33: “Nunca se viu nada parecido em Israel”.

Tenho crido e pregado muito sobre um tema importantíssimo para a fé cristã: Humildade.
Não estou dizendo que esta é a chave dos milagres, estou reproduzindo o que me chamou atenção em meio a tantos milagres em dois capítulos:
- O leproso disse: “Se quiseres...” – Humildade;
- O centurião disse: “Senhor, não mereço receber-te debaixo do meu teto. Mas dize uma palavra, e o meu servo será curado” – Humildade;
- Os homens que trouxeram o paralítico – Humildade;
- Mulher com fluxo: “Se eu tão-somente tocar em seu mando, serei curada” – Humildade;
- Os cegos: “Filho de Davi, tem misericórdia de nós!”. – Humildade;

Acredito, como já disse, que a famosa, estudada e orgulhosa Humildade não é a chave do grande segredo, mas que compõe a chave, compõe!
Assim, procurarei ser cada vez mais humilde na presença de meu Deus, para que Ele me use para ser famoso. (Leia bem, caro leitor: Para Ele – Deus – ser famoso!).
Pois é exatamente isso que acredito acontecer contra os milagres: Homens normais querendo ter poderes divinos, por conseqüência, homens normais sendo famosos!

Portanto, sei que para ser humilde em nossos dias é quase um milagre. Por isso, início a minha oração pelo milagre da humildade.

Em Cristo,
Pr Kiko Machado.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Ausência de Contexto é o Contexto do Diabo

Mateus capítulo quatro.
Jesus, João e o Jordão, juntos. E mais a assinatura de Deus nos dão um dos quadros mais lindos das Escrituras.
Jesus está cheio de Deus, uma voz rompe os céus para abençoá-lo e consagrá-lo como o grande Eu Sou encarnado.
“Então, Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo Diabo”.
E aí, começa uma guerra de argumentos... (o termo “guerra” não é bem aplicado neste contexto, porque estamos falando de Jesus e o Diabo, porém o uso porque se trata de Jesus homem, Jesus como um de nós e assim sendo, todos nós podemos – e passamos – por tais guerras).
Sei que o Diabo é um perito em Bíblia, sei o quanto ele conhece, no entanto, em questão de aplicação ele é terrível. E também em questão de contexto, pior ainda.
Eu explico!

O problema é o seguinte:
Ele diz uma coisa absurda para Jesus, o transformar de pedras em uma padaria. E Jesus responde com um texto bíblico excelente e contextualizado:
“Nem só de pão viverá o homem...” Dt. 8.3.
Deus, em Deuteronômio, está explicando o porquê dos Israelitas terem passado fome:
1. Humilhação;
2. Dependência de Deus;
3. O homem não vive só de comida, mas de Deus.
Primeira lição de Bíblia para Satanás. Pois se este pensa que é bom, não há como comparar como o Autor!

Mas, o Diabo continua com absurdos e manda que se jogue do alto do templo.. “pois está escrito”. O Diabo e sua ousadia. E vale lembrar que este é o único momento em que ele usa um texto bíblico. E muito mal usado.
Na verdade, na verdade, ele não é tão bom assim!
“Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra”. Sl 91.11,12.
Eis o Diabo querendo lançar a Teologia da Prosperidade!
Eis o Diabo distorcendo um maravilhoso texto, que aconteceu dentro de um contexto.
Eis o Diabo mostrando que não entende muito de interpretação textual de Salmos.
Eis o Diabo esquecendo de que os Salmos são expressões passivas da Palavra de Deus.
Eis o Diabo apresentando a sua falta de informação contextual.

Não pretendo continuar na tentação, pois somente o Diabo mesmo para continuar tentando a Jesus depois desta grande gafe teológica. E somente o bondoso e amoroso Jesus para responder. (E respondeu maravilhosamente bem com mais um texto da Lei e, diga-se de passagem, muito bem aplicado).

Mas, quero me deter em aplicação de texto. Em clamar a cada um leitor para que esteja atento ao que o texto está dizendo. Não diga o que ele – o texto – não está dizendo. A Bíblia é maravilhosa e não precisa da nossa colaboração para ser melhor.
Diga apenas o que ela esta dizendo. Para você não cair no erro do Diabo; pois Ausência de Contexto é o contexto do Diabo.

Quer uma lição do que o texto da Tentação tem para nós?
Não brinque com o Diabo;
Saiba que ele é péssimo de contexto, assim sempre tem um outro texto para nos assegurar da verdade de Deus;
Para usar bem os textos, use-os em seus contextos. Por quê?

Por que...
Ausência de Contexto é o Contexto do Diabo.
Pr Kiko Machado